O verdadeiro lado ruim de viajar com o seu amor

Viajar sozinho, acreditem, é muito bom. Você se sente livre, dono do mundo, como se nada pudesse segurá-lo novamente. Você se sente com o rei na barriga, como diria minha mãe.

Viajar sozinho só tem um problemão: começar a namorar ou casar e viajar com seu amor.

Ok. No início tudo são flores, todos os defeitos viram qualidades e todos os arrotos são fofos. Mas conforme o tempo juntos vai ganhando dias e meses, as coisas podem começar a desandar um pouco se o casal não tomar cuidado. As brigas começam por conta da convivência, os mimimi de defeitos também, mas isso não é o pior… O ruim mesmo é quando algo impede que vocês passem todos os dias juntinhos, seja por doença, por compromisso, ou algo do tipo. Você até esquece daquela mania chata e ignora os roncos mega altos.

Já tive que ficar sozinha e dormir sozinha depois de tanto tempo dividindo a estrada, e os sintomas sempre são os mesmos: ansiedade nível mega hiper super alto, insônia, taquicardia, sentimento de estar desprotegida, saudade apertando o coração. Parece que falta um pedaço.

Eu poderia listar mil motivos para você não viajar acompanhado, mas os motivos para fazê-lo, principalmente quando o assunto é viajar com o seu amor, são infinitamente maiores e fazem muito mais sentido.

Eu costumo dizer que você tem apenas 50% de chance de sucesso em viagens conjuntas porque, infelizmente, não existe um meio termo. Ou você vai ter aquele MEGA sucesso sendo feliz com sua companhia de viagem ou você vai ter aquele MEGA fracasso. E sabe por que eu digo isso? Porque quando as brigas começam, elas não param. E quando o amorzinho começa, ele também não para. E é aí que entra a ÚNICA vantagem desse breve afastamento físico: a saudade. E não é loucura pensar assim, porque são nos reencontros que a gente se encontra de verdade. É como se a parte mais importante do seu ser e do seu corpinho estivesse de volta.

Viajar com seu amor, diferente do que muitos pensam, é sim um tempo de autoconhecimento, porque você perde o medo de ser quem você é. Seu reflexo fica estampado no espelho da alma da outra pessoa. O medo se dissipa, a intimidade melhora ao passo em que a libido só aumenta, a paixão explode tudo de novo como se fosse a primeira vez. E não podemos esquecer que o que acontece entre 4 paredes (e em qualquer lugar onde vocês desejarem, claro) melhora infinitamente, ignorando pra sempre o fator rotina.

Tem gente que cisma em dizer que com a convivência os defeitos aumentam e a relação fica desgastada, mas só diz isso quem nunca pegou uma estrada duradoura ao lado da pessoa amada. No meu caso, tudo virou motivo de piada, o que é maravilhoso. Chulé? A gente zoa. Não tirou o cabelo do ralo? A gente ri. Não deu descarga? A gente respira fundo e segue em frente. Mau humor? A gente cura com chocolate.

Se existe uma ótima lição que a estrada me deu foi que quanto mais perto, mais a gente se obriga a fazer da certo. E isso vira sim uma bola de neve, daquelas gostosas que compõem bonecos de neve em filmes natalinos da “Sessão da Tarde”, que dão muito trabalho, mas que são o sonho de consumo de qualquer um.

SE HOSPEDE COM BOOKING.COM

VIAJE SEGURO:

Seguro viagem geral 728x90

O verdadeiro lado ruim de viajar com o seu amor
5 (100%) 7 votes

viagemcomasmanas

Empreendedoras digitais apaixonadas por viagem que buscam ajudar cada vez mais pessoas a se tornarem as protagonistas de suas próprias vidas.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *